Embora a agricultura urbana, em diferentes escalas, sempre esteve presente na história das cidades, parece que agora voltou a ser mundialmente considerada com maior relevância, porém, num outro contexto social e político.

Recentemente a humanidade se tornou urbana, ou seja, a maioria da população mundial vive em cidades – na América do Sul já passa de 80% e continua crescendo. Cada vez mais aumenta a quantidade de alimentos que precisa ser transportado para dentro das cidades todos os dias, principalmente através de transporte rodoviário e muitas vezes viajando centenas de quilômetros.

A produção em larga escala também se tornou dependente de muita energia (petróleo) e abusivamente química, com grande consumo de insumos sintéticos e de venenos tóxicos para o ambiente e o ser humano. A produção de vegetais transgênicos, os quais quase sempre chegam à nossa mesa sem essa informação, é outro grande fator de incerteza para a saúde humana.

Em resumo, este é o contexto macro em que vivemos atualmente. No entanto, não são os únicos fatores que nos motivam a cultivar hortas e jardins em casa ou na comunidade.

Podemos abordar o cultivo de uma horta e suas atividades relacionadas, então, por diversas razões:

– Segurança alimentar;
– Proteção do meio ambiente e da saúde;
– Economia das despesas domésticas e/ou públicas;
– Educação;
– Lazer;
– Benefícios terapêuticos.

Veremos cada um desses itens nas postagens a seguir.

Embora a agricultura urbana, em diferentes escalas, sempre esteve presente na história das cidades, parece que agora voltou a ser considerada com maior relevância, porém, num outro contexto social e político.
Recentemente a humanidade se tornou urbana, ou seja, a maioria da população mundial vive em cidades – na América do Sul já passa de 80% e continua crescendo. Cada vez mais aumenta a quantidade de alimentos que precisa ser transportado para dentro das cidades todos os dias, principalmente através de transporte rodoviário e muitas vezes viajando centenas de quilômetros.
A produção em larga escala também se tornou dependente de muita energia (petróleo) e abusivamente química, com grande consumo de insumos sintéticos e de venenos tóxicos para o ambiente e o ser humano. A produção de vegetais transgênicos, os quais quase sempre chegam à nossa mesa sem essa informação, é outro grande fator de incerteza para a saúde humana.
Em resumo, este é o contexto macro em que vivemos atualmente. No entanto, não são os únicos fatores que nos motivam a cultivar hortas e jardins em casa ou na comunidade.
Podemos abordar o cultivo de uma horta e suas atividades relacionadas, então, por diversas razões:
– Segurança alimentar;
– Proteção do meio ambiente e da saúde;
– Economia das despesas domésticas e/ou públicas;
– Educação;
– Benefícios terapêuticos.

Veremos cada um desses itens nas postagens a seguir.

Navegue nos links:

Portugal: www.portau.org

Vários recursos: www.agriculturaurbana.org.br

Anúncios