Ter cão ou gato em casa não pode ser impeditivo para cultivar uma bela horta ou jardim. Ao contrário, é uma boa oportunidade para criarmos espaços que incluam os animais domésticos e também para experimentarmos uma outra relação com eles.

Se nas cidades a presença de animais perturba é porque não foi previsto a inclusão deles. Não planejamos os nossos espaços nem a nossa vida pensando nos animais, apesar de convivermos com eles há tantos séculos. Tomemos a inciativa, portanto, de resgatar esses seres abandonados e em situação de sofrimento, dando boas condições de desenvolvimento e recuperando sua dignidade.

Vamos tentar?

Com muita paciência, carinho e leveza vamos educar os bichos da casa como se fossem filhos ou o irmão caçula, mas sem confundi-los como tal. Talvez seja preciso um pouco de determinação e persistência, mas sempre vale a pena.

Cada qual com seu desafio: ensinar o gato que não pode usar o canteiro de banheiro nem caçar pássaros ou insetos; o cão não pode pisotear a horta nem cavar buracos na terra.

Dica para ir ainda mais adiante: o livro “Eu falo, tu falas… eles falam!”, além dos áudios das palestras e outros estudos da médica veterinária Sheila Waligora. Clique no link.

Possível legenda da foto: “Eu posso entender! Me fala!”.